Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Surya Dental

Nanodiamantes e a Odontologia

Cientistas da UCLA School of Dentistry, descobriram que diamantes numa escala muito menor, do que os que são usados em joias, podem ser eficazes no tratamento para promover o crescimento ósseo e a durabilidade dos implantes dentários em pacientes que sofrem com a osteonecrose.

Conhecida também como necrose asséptica, a osteonecrose é causada pela falta de fluxo sanguíneo nos ossos que resulta na morte das células ósseas. Quando o local afetado é próximo a alguma articulação, ocorre o desgaste e até fraturas dos ossos atingidos, restringindo ou impedindo os movimentos. Se ocorrer na mandíbula, o paciente pode ficar impossibilitado de comer e falar. Perda de massa óssea pode ser uma consequência dessa disfunção, principalmente em regiões ao lado de implantes, tanto em articulações como em implantes dentários, o que os leva a ficarem soltos, com falha.

Essa pesquisa tem como base de estudo os portadores desta doença. Até então os tratamentos para reparar a parte óssea danificada exigiam procedimentos dolorosos e dispendiosos. Esses desafios são exacerbados quando a doença ocorre na boca, em que há uma quantidade limitada de osso local, geralmente usado para fixar a prótese dentária.

Os nanodiamantes têm cerca de 4-5 nanômetros de diâmetro e são em forma de pequenas bolas de futebol. Pesquisadores da UCLA junto a outros cientistas do departamento de Bioengenharia da Universidade Northwestern e colaboradores do instituto de pesquisa Nanocarbon no Japão, comemoram os resultados desse estudo, pois podem ter encontrado uma maneira de usar essas nanopartículas para melhorar o crescimento dos ossos e combate a doença.

Durante as operações de reparação óssea, que são normalmente demoradas, os médicos inserem uma esponja através de cirurgia invasiva para administrar localmente proteínas que promovem o crescimento do osso. A descoberta desses estudiosos, é que o uso de nanodiamantes para inserir essas proteínas, é potencialmente mais eficaz do que as abordagens convencionais.

Os nanodiamantes invisíveis ao olho humano, estimulam rapidamente a parte morfogenética do osso e também o fator de crescimento dos fibroblastos. Por possuírem uma única superfície, as moléculas de diamante permitem que as proteínas sejam introduzidas de forma mais lenta, fazendo com que a área afetada seja tratada por um longo período de tempo. Além disso, podem ser administrados de forma não invasiva, por injeções ou enxaguamento bucal.

A equipe de estudo também conseguiu provar que os nanodiamantes em modelos pré-clínicos foram eficazes no tratamento de várias formas de câncer. Sabendo que a osteonecrose pode ser um efeito colateral da quimioterapia, o grupo decidiu examinar se os nanodiamantes poderiam ajudar no tratamento de perda de massa óssea também. Os resultados deste novo estudo podem abrir as portas para esse material versátil ser usado no tratamento da medicina regenerativa e em outros campos. Além de servir como base para o futuro da nanotecnologia na odontologia.

Autor: Redação Surya Dental – Fernanda Benitte – Graduada em Marketing 

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Feito por Nerau Studio