Outubro rosa chegou! Previna-se também contra o câncer de boca

OUTUBRO ROSA

O mês de outubro é marcado por ações de conscientização da prevenção do câncer de mama pelo diagnóstico precoce em todo mundo. A ideia é unir forças e incentivar a prevenção da doença por meio do autoexame e da mamografia.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, a doença afeta 1 em cada 15 mulheres brasileiras. A notícia é boa: os avanços no diagnóstico e tratamento do câncer de mama elevaram as chances de cura para 90% quando descoberto no início. O problema: no Brasil, a mortalidade continua alta porque 30% dos casos são diagnosticados em estágios mais avançados, quando o índice de cura é baixo. Além disso, há cerca de 12 mil mortes de mulheres todos os anos no país em decorrência da doença – o equivalente a 2,5% das mortes femininas no Brasil.

Outubro Rosa alerta para o diagnostico precoce do câncer de mama

O principal método de diagnóstico precoce ainda é a mamografia, radiografia das mamas (o que reforça a importância de sempre fazer o exame anualmente). Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), para o ano de 2015, a estimativa é que mais de 57 mil novos casos de câncer de mama sejam descobertos no nosso país, o que corresponde a 156 casos novos a cada dia. Mundialmente, este é o segundo tipo mais frequente de tumor entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano.

Autoexame

As mulheres podem, em casa, fazer o autoexame com cuidado, preferencialmente uma vez por mês, sempre a partir do final da menstruação ou, na menopausa, em um dia específico do mês. É importante que as mulheres estejam atentas ao seu corpo e ao sinal de qualquer tipo de alteração, sendo então importante comunicar ao médico. Lembre-se: o autoconhecimento não substitui o exame clínico realizado pelo médico ou a mamografia. Tumores em estágio inicial não costumam apresentar sintomas. Mais: eles só se tornam sensíveis ao toque numa fase posterior. Então, repita conosco: só o autoexame não basta!

Como fazer:

  1. Diante do espelho, em pé e com os braços soltos ao longo do corpo, observe o bico dos seios e a aréola. Veja se há retração ou mudança na cor da pele, da superfície ou do contorno da mama.

  2. Levante os braços acima da cabeça e observe se há retração na pele da mama ou do mamilo.

  3. Deitada, coloque um travesseiro sob o ombro direito, ponha o braço direito atrás da cabeça e, com a mão esquerda, apalpe a mama direita.

  4. Em movimentos circulares suaves, aperte toda a mama com a ponta dos três dedos médios juntos, sem tirá-los da pele, para sentir se há nódulos ou endurecimentos. O movimento da mão deve ser leve e de cima para baixo. Revise também embaixo das axilas.

  5. Repita os movimentos apalpando a mama esquerda com a mão direita. O autoexame pode ser feito durante o banho, com as mãos ensaboadas. Sentiu algo errado. E agora? Se você percebeu um nódulo, é hora de calma e prudência. Ligue para o médico e marque sua consulta para poder fazer a mamografia.

Direitos

Além da Lei nº 12.802, que estabelece a reconstrução mamária como procedimento obrigatório no mesmo ato no qual foram retiradas as mamas, as pacientes têm outros direitos assegurados pelas nossas leis, como:

  • Amparo assistencial ao idoso e ao deficiente (LOAS – Lei Orgânica de Assistência Social): o benefício também se aplica à mulher que teve a mama retirada parcial ou integralmente e que esteja incapacitada de trabalhar. Para isso, é preciso atender a algumas exigências. “O critério fundamental é de que a renda familiar seja inferior a um quarto do salário mínimo”, advogada Gabriella Guerra.

  • Aposentadoria por invalidez e auxílio-doença: as mulheres que sofrem com o câncer de mama e estão inscritas no Regime Geral de Previdência Social (INSS), independentemente do pagamento de 12 contribuições, têm direito à aposentadoria por invalidez. O benefício, no entanto, é concedido à paciente desde que “sua incapacidade para o trabalho seja considerada definitiva pela perícia médica do INSS”. Para aquelas que são consideradas temporariamente incapazes para o trabalho por conta do câncer, é possível recorrer ao auxílio-doença. Neste caso, também é preciso estar inscrita no INSS. O benefício mensal é concedido quando ela fica impossibilitada de trabalhar por mais de 15 dias consecutivos.

  • FGTS: os pacientes com câncer têm direito é o de sacar o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

  • Isenção de impostos: os portadores de câncer também têm direito a algumas isenções de impostos. Estão isentos, por exemplo, do imposto de renda relativo aos rendimentos de aposentadoria, reforma e pensão, inclusive as complementações.

  • PIS: os portadores de câncer e seus dependentes têm direito assegurado de realizar saque do PIS, na Caixa Econômica Federal (CEF). O direito garante o recebimento do saldo total de quotas e rendimentos. Quitação do financiamento da casa própria.

  • Transporte coletivo gratuito: o direito dos pacientes com câncer ao transporte coletivo gratuito está restrito a alguns municípios. Para ter mais informações, basta acessar o site do Inca (Instituto Nacional do Câncer).

1

 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o Câncer de Mama o Conselho Federal de Odontologia também faz um alerta sobre a necessidade da prevenção contra o câncer bucal.

Câncer de boca afeta 7% da população mundial e o Brasil está em 4º lugar

“É preciso prevenir doenças na boca, pois muitas delas provocam até risco de morte. A higiene bucal também evita muitas infecções no coração, no pulmão, já que a infecção na boca pode se espalhar pela corrente sanguínea. Vamos nos conscientizar que uma higienização bem feita nos proporciona mais qualidade de vida”.

Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença ainda mata mais de 4 mil pessoas por ano, e 5.490 novos casos de câncer de boca serão descobertos até 2017. Destes, 11.140 serão em homens e 4.350 em mulheres, com aproximadamente 5.400 casos de mortes. Este tipo de tumor ocupa hoje o 5° lugar em frequência entre os homens e representa 5% dos casos totais. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 43% das mortes por câncer em todo o mundo são causadas pelo consumo do tabaco, do álcool, por maus hábitos alimentares e de estilo de vida e infecções.

O cigarro e o álcool, além de potencializar o aparecimento de várias doenças, são os principais fatores de risco de câncer de boca – doença agressiva que pode mutilar o rosto e matar. ‘’Isso acontece porque o tabaco e o álcool causam alterações nas células da mucosa da boca e da pele, capazes de acelerar o crescimento das células cancerígenas e aumentar as chances de lesões e tumores’’, explica a especialista em implantodontia, a cirurgiã dentista Regina Bregalda.

Os homens são as principais vítimas, pois costumam fumar e beber mais. No entanto, com a mudança de hábitos, a doença também se alastra entre as mulheres, sendo, atualmente, o sétimo tipo de câncer mais comum entre elas. Em 2007, era o oitavo.

Dra. Regina Bregalda alerta sobre importância de ficar atento aos sintomas: ‘’Muitas vezes os primeiros sintomas passam despercebidos, e acabam sendo confundidos com uma simples afta. Por isso é muito importante fazer exame clínico da boca em consultório. Pessoas com mais de 40 anos que fumam e bebem devem ficar mais atentas e ter sua boca examinada por um dentista profissional pelo menos uma vez ao ano.’’

Ulcerações superficiais, com menos de 2 cm de diâmetro, indolores (podendo sangrar ou não) e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios ou na mucosa bucal, dificuldade para falar, mastigar e engolir, além de emagrecimento acentuado, dor e presença de linfadenomegalia cervical (caroço no pescoço) são sinais de câncer de boca em estágio avançado.

O câncer oral ou de boca envolve a região dos lábios e a cavidade interior da boca: pode afetar as bochechas, língua e embaixo dela (assoalho), o céu da boca (palato duro) e as amídalas. Em casos mais extremos, quando há metástase, pode chegar à região da orofaringe (pescoço) e subir para o rosto.

Além do álcool e do tabaco, a má higiene bucal e uso de próteses dentárias mal ajustadas são algumas das causas da doença.

Como prevenir o câncer de boca

– Evitar bebidas alcoólicas, principalmente se for fumante

– Não fumar

– Visitar o dentista regularmente

– Ter uma alimentação saudável

– Ter uma boa higiene bucal

– Manter dentes e próteses sempre em bom estado

– Evitar exposição ao sol ou usar protetor labial

– Fazer sexo oral apenas com proteção (camisinha)

Dra. Regina Bregalda é Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Pós-graduada em Prótese Dentária pelo Instituto de Estudos da Saúde & Gestão Sérgio Feitosa (IES), Especialista em Implantodontia pelo Grupo de Apoio à Pesquisa Odontológica na Faculdades Unidas do Norte de Minas (GAPO/Funorte), Pós-graduada em Cirurgia Avançada, também pela Funorte, Pós-graduada em Bioplastia, Plástica Gengival e Estética Global do Sorriso pelo Instituto de Biologia Oral (IBO) e especialista em estética orofacial pelo M.A.R.C. (Miami Anatomical Research Center), nos Estados Unidos, e pelo Odontopartners e membro titular da Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica e Implantes Faciais na Odontologia.

Fontes: Instituto Avon – organização que coordena, desde 2003, as ações de investimento social da Avon no Brasil, por meio das campanhas “Avon Contra o Câncer de Mama” / Sociedade Brasileira de Mastologia / Organização Mundial de Saúde (OMS)/ FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantópicas de apoio a Saúde da Mama) / Matéria com conteúdo da revista CLAUDIA.

Precisa abastecer seu consultório? Vem para a Surya Dental, há 24 anos no mercado odontológico.

Quer receber nossas novidades? Deixe seu e-mail.

Deixe um comentário