Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Surya Dental

Síndrome da Boca Ardente

Nada parece errado quando uma pessoa tem esta doença, mas nada poderia estar mais longe da verdade. Quem sofre com essa doença sente uma dor oral, como se estivesse com a boca escaldada! E os sintomas podem persistir por vários dias.

Essa disfunção, chamada de SBA (Síndrome da Boca Ardente), continua a confundir os investigadores dentários. Em vários momentos, a questão tem sido ligada a distúrbios da mucosa, periodontal ou problemas com restaurações. Causas mentais ou emocionais também foram citadas como a razão para pessoas que desenvolvem esta condição.

Quem sofre dessa síndrome, precisa visitar um dentista várias vezes antes que seu problema possa ser diagnosticado. Alguns dos sintomas mais comuns incluem: (1) ardor na língua e dor oral, sem motivo, (2) gosto anormal ou sensação de secura na boca, e (3) sensações de que a boca está queimando. Mas a parte estranha, é que os sintomas desaparecem durante as refeições.

Cerca de 2 a 5 por cento da população norte-americana sofrem com esse problema. As mais afetadas são, mulheres de idades entre 50 a 70 anos.

Há relatos de que essa doença se desenvolve devido a alterações nas funções sensoriais neurológicas. Anemia, diabetes, deficiência de vitaminas e problemas de tireoide podem também levar a essa síndrome. A causa específica ainda é um mistério, mas um traço comum entre os portadores, é o dano ou desaparecimento dos nervos da cavidade oral. Esta deterioração não pode ser vista ao olhar, o que explica o fato do diagnóstico ser tão difícil de fazer.

Por sua gravidade, essa disfunção altera drasticamente a qualidade de vida de uma pessoa, podendo levar até ao suicídio. Existem consultórios especializados em tratar este problema, geralmente feito através de analgésicos e outros tratamentos tópicos utilizados para reduzir os efeitos da síndrome.

Uma edição recente do Journal of the American Dental Association, menciona que a SBA agora está sendo ensinada a estudantes de odontologia, mas uma grande quantidade de trabalho precisa ser feito para lidar com a doença de uma forma mais eficaz.

Fonte: Dentistry Today
 
Autor: Fernanda Benitte – Graduada em Marketing

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Feito por Nerau Studio