Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Surya Dental

Lavadora de Ultrassom: 3 Motivos para usar e 3 Dicas para Otimizar a limpeza dos seus instrumentos

Saiba os 3 Motivos para usar a Lavadora Ultrassom e 3 Dicas para otimizar a limpeza dos seus instrumentos nesse post.

 

MOTIVO 1:

ECONOMIA DE TEMPO: Se você fez as contas no seu consultório e já percebeu que o tempo é um dos fatores mais importantes na organização e que o seu gerenciamento é fundamental para o seu negócio. O que muitos profissionais ainda não se deram conta, é que isso também vale para o tempo de seus colaboradores. A lavadora de ultrassom agiliza na limpeza dos instrumentais e libera a auxiliar odontológica para outras atividades, como por exemplo, confirmar a sua agenda e garantir que nenhum horário deixe de ser preenchido.

 

MOTIVO 2:

SEGURANÇA OCUPACIONAL: A limpeza com a ajuda da lavadora ultrassônica deve preceder a limpeza manual, o que aumenta a segurança, pois a maior parte da sujidade foi eliminada e com ela os microrganismos. A manipulação dos instrumentos contaminados é reduzida, assim como o risco de exposições ocupacionais.

MOTIVO 3:

EFICÁCIA DA LIMPEZA: Usar a lavadora de ultrassom implementa a limpeza, pois a cavitação proporcionada pelas ondas de ultrassom atinge áreas inacessíveis às cerdas das escovas. Além da melhora na limpeza, os instrumentos adequadamente limpos terão uma vida útil mais longa.

 

DICA 1

Desgazeificação: A cada troca de solução, lembre-se de realizar um ciclo somente com a solução, para eliminar os gases dissolvidos na água. Isso vai melhorar consideravelmente a limpeza dos instrumentais.

 

DICA 2

Diluição da Solução: Leia as instruções do fabricante do detergente enzimático e prepare de acordo. Escolha medidores compatíveis para água e para o enzimático. Isso vai contribuir para melhorar a limpeza e evitar desperdício do enzimático. Uma solução mais concentrada não vai melhorar a limpeza!

 

DICA 3

Troca da Solução: Troque a solução da sua lavadora pelo menos uma vez a cada período ou antes de a solução se tornar visivelmente contaminada, turva ou com precipitados. Lembre-se que os detergentes enzimáticos são proteínas e não um desinfetante. O propósito é limpar.

 

Autora:

Liliana Junqueira de Paiva Donatelli, MPH 2015.

Bióloga (USP), Mestre em Saúde Pública na Faculdade de Medicina de Botucatu.

Aperfeiçoamento em Biossegurança na Fundação Oswaldo Cruz.

Membro da OSAP (Organiza.on for Safety, Asepsis and Preven.on) e responsável pela página brasileira, na área internacional do site www.osap.org.

Coordenadora do Projeto Biossegurança em Odontologia Cristófoli há 15 anos.

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Feito por Nerau Studio