Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar
Áreas da odontologia: qual o melhor caminho para você?

Áreas da odontologia: qual o melhor caminho para você?

Você já se perguntou sobre qual área de odontologia quer seguir? Esse é um questionamento muito comum entre alunos de graduação, especialmente quando pensamos que existem diversos caminhos para um cirurgião-dentista.

De acordo com o Conselho Federal de Odontologia (CFO), atualmente, existem 23 especialidades reconhecidas pelo órgão e, ao contrário da antiga norma, agora é permitido o registro em mais de duas especialidades.

Dessa forma, existe um grande leque de opções para ser explorado após a sua saída da universidade. Quer descobrir quais as alternativas? Continue a leitura!

1. Acupuntura

A acupuntura é uma das áreas da odontologia que ainda geram alguns debates sobre a real eficácia do procedimento, entretanto, alguns estudos têm sido feitos relacionado ao assunto e os resultados são muito positivos.

Se você se interessa pela medicina tradicional chinesa (MTC), especializar-se em acupuntura pode ser um ótimo caminho! Os estudos aprofundados sobre o assunto irão permitir que você empregue essa técnica dentro do consultório para auxiliar o tratamento de diversas manifestações bucais.

A acupuntura é uma grande aliada no tratamento de dor orofacial, tinido, bruxismo e também utilizada como técnica de analgesia.

A partir de 2008, a resolução CFO-82/2008 autorizou a acupuntura no Brasil por odontologistas e, desde então, ela vem se popularizando. Entretanto, é uma área ainda com poucos profissionais atuando, o que pode ser uma boa oportunidade para quem quer algo com menos concorrência.

Segundo dados do CFO de junho de 2021, estão registrados na especialidade 418 profissionais.

2. Cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial

Se você se interessa por tratamentos cirúrgicos e coadjuvantes, essa área pode ser um caminho. O dentista que trabalha no ramo de cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial é responsável por atuar com biópsias, implantes, enxertos, transplantes e outros.

Cabe a esse profissional realizar cirurgias com finalidade protética, ortodôntica, ortognática, assim como tratar lesões, tumores malignos e benignos da cavidade bucal, doenças de glândulas salivares etc.

Um ponto curioso sobre essa área é que ela é a única que exige a residência hospitalar de três a quatro anos para se especializar. Para conhecer mais sobre a jornada desse profissional, você pode assistir ao vídeo do canal Saúde e Você.

Atualmente, o CFO conta com 6.315 profissionais registrados nessa área da odontologia.

3. Dentística

Para alunos que gostam de trabalhar com estética, mas também desejam atuar em uma área que está relacionada à saúde, parte funcional e estrutural dos dentes, a dentística é uma opção muito interessante.

O cirurgião-dentista especializado em dentística tem papel relevante na prevenção de manifestações bucais, assim como também na educação do paciente sobre hábitos de higiene.

Compete a esse profissional realizar procedimentos estéticos, como restaurações, clareamento, lentes de contato, facetas dentárias e cirurgias relacionadas à gengiva, como gengivoplastia e gengivectomia.

Além dos procedimentos que visam um sorriso harmônico, o cirurgião-dentista dessa área também preocupa-se com a saúde bucal do paciente, e pode atuar na remoção de cáries ou restabelecer a funcionalidade dos dentes.

No Brasil, 6.469 profissionais estão registrados nessa especialidade.

4. Disfunção temporomandibular e dor orofacial

Quem se identifica com áreas que requerem bastante conhecimento científico irá apreciar atuar como especialista em disfunção temporomandibular e dor orofacial. Esse profissional é responsável por diagnosticar e tratar dores e distúrbios do sistema mastigatório, região orofacial e estruturas relacionadas.

O cirurgião-dentista dessa especialidade em odontologia também pode atuar em pesquisas epidemiológicas, clínicas e laboratoriais que estão conectadas às disfunções temporomandibulares e dores.

Se você gosta de desafios, essa pode ser a área certa para você, já que requer do profissional que pesquise e fomente a literatura acadêmica sobre dores orofaciais.

Além da curiosidade, outra característica importante sobre esse especialista é a comunicação com o paciente, que deve ser humanizada e que exige que o cirurgião-dentista aiba escutar o que o outro tem a falar, para, assim, compreender o problema.

Os dados do CFO apontam que existem, atualmente, 1.414 profissionais registrados na especialidade.

5. Endodontia

A endodontia é a área da odontologia que cuida da parte interna do canal, ou seja, das estruturas internas do dente. Além dessa região, a especialidade preocupa-se com os tecidos perirradiculares.

De acordo com o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), cabe a esse profissional realizar:

  • Procedimentos conservadores da vitalidade pulpar
  • Procedimentos cirúrgicos no tecido e na cavidade pulpares
  • Procedimentos cirúrgicos paraendodnticos.
  • Tratamento dos traumatismos dentários

No vídeo do canal Simpatio Odonto, você confere a explicação da dra. Mylene Fakhourt sobre a área.

Essa é a terceira área com mais registros no CFO, totalizando em 16.658 profissionais.

6. Estomatologia

Desde 1992, o CFO reconhece a estomatologia como uma área na qual a atuação do cirurgião-dentista é crucial, já que esse profissional detém conhecimento sobre a cavidade bucal.

O estomatologista é muito importante para prevenir, diagnosticar e orientar pacientes diante de lesões que acontecem na cavidade da boca e no complexo mandibular. Além disso, esse profissional se preocupa com doenças sistêmicas e, por isso, atua com manifestações relacionadas a elas.

Um dos grandes objetivos da área é prevenir e diagnosticar o câncer de boca e, para isso, pode atuar em ações individuais ou coletivas.

Dentro da pesquisa, o cirurgião-dentista especialista em estomatologia pode atuar com estudos epidemiológicos, clínicos e laboratoriais.

Sem dúvidas, o estomatologista é um profissional de grandes contribuições, já que pode ser ele o responsável por diagnosticar doenças como o HIV, cujos primeiros sintomas podem surgir em forma de lesão na boca.

Esta é uma área ainda pouco concorrida: 999 profissionais estão registrados no CFO.

7. Harmonização orofacial

A harmonização orofacial é uma área em crescimento entre os cirurgiões-dentistas, desde que passou a ser reconhecida pelo CFO, em 2019.

Por ser uma área da odontologia ainda recente, o número de profissionais é pequeno, apenas 647. Entretanto, com o aumento da busca por procedimentos menos invasivos, a especialidade tem chamado atenção de cirurgiões-dentistas.

Para os profissionais da odontologia, são permitidos os procedimentos de bichectomia, aplicação da toxina botulínica, fios de dermosustentação e preenchimento com ácido hialurônico.

Além do conhecimento nesses procedimentos, é muito importante que o cirurgião-dentista busque aprofundar-se no atendimento de emergências no consultório, assim como desenvolver uma postura humanizada para lidar com expectativas e desejos dos pacientes.

8. Homeopatia

Já ouviu falar em homeopatia? É uma terapia com carácter holístico, ou seja, considera o paciente como um todo ao invés de focar apenas em manifestações pontuais. A área busca tratar a energia vital da pessoa, equilibrando o físico com o psíquico.

O cirurgião-dentista especialista em homeopatia utiliza da terapia para tratar aftas, cáries, gengivite, bruxismo, periodontite, síndrome da ardência bucal, halitose e outros.

Inclusive, por meio da homeopatia, existe a possibilidade de tratar odontofobia e ansiedade odontológica.

Essa área da odontologia busca atuar de forma integrativa com outras especialidades e visa ter abordagem mais humanizada para diagnosticar, tratar e prevenir manifestações bucais e doenças sistêmicas.

Para universitários que se interessam por holística, essa pode ser uma área muito interessante e, inclusive, com muito a se explorar, já que existem apenas 199 especialistas no Brasil.

9. Implantodontia

A implantodontia é uma das áreas da odontologia que mais atrai profissionais, com 17.151 cirurgiões-dentistas trabalhando com a especialidade no país.

Dentista fazendo procedimento

A implantodontia é uma das especializações em odontologia com mais procura.

A área é bastante abrangente e engloba procedimentos cirúrgicos e prótese. De acordo com o CFO, o objetivo é “a implantação na mandíbula e na maxila, de materiais aloplásticos destinados a suportar próteses unitárias, parciais ou removíveis”.

Um ponto interessante sobre esse mercado é o quanto ele é atualizado, com diversas tecnologias, pesquisas e novidades. Tudo isso faz com que o Brasil seja um dos grandes destaques em implantodontia.

Ao especialista compete diagnosticar:

  • Condições das estruturas ósseas do maxilar.
  • Alterações das mucosas bucais e das estruturas dos elementos dentários.

Cabe a ele também realizar enxertos ósseos e gengivais, manutencionar implantes e técnicas cirúrgicas.

Essa é uma área atraente não apenas por ser extremamente gratificante, como também por ser uma das que remunera melhor.

10. Odontogeriatria

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que, até 2060, a proporção de idosos chegue a 25,5% da população (em 2018 a porcentagem era de 9,2%). Esse crescimento faz com que a odontogeriatria seja a especialidade do futuro, focada em aprofundar-se na saúde bucal de pessoas mais velhas.

O cirurgião-dentista especializado em odontogeriatria pode atuar em diversos espaços além do consultório, como em instituições filantrópicas, Promoção de Saúde da Família (PSF), formação técnica de cuidadores etc.

Além de conhecer mais a fundo doenças sistêmicas e manifestações bucais comuns em idosos, é esperado que o especialista saiba realizar um atendimento humanizado e de acordo com as necessidades do paciente.

A odontogeriatria oferece muito espaço no mercado: atualmente, há apenas 276 profissionais na área.

11. Odontologia do esporte

Unir profissão com o amor por algo é o sonho de muitos. Dentro da odontologia, os apaixonados por esportes podem atuar em uma área específica focada em atletas e em entender as manifestações bucais relacionadas ao estilo de vida de quem pratica atividades físicas.

Praticar esportes pode gerar riscos para a saúde orofacial dos atletas e, segundo estudo realizado pela National Youth Sports Safety Foundation, 10% desse grupo pode sofrer um evento traumático em temporadas de jogos, assim como têm de 33% a 56% de chances disso acontecer durante a carreira.

Portanto, a odontologia do esporte é crucial para atender atletas e amadores que sofreram algum tipo de trauma ou lesões causadas durante a prática esportiva, como jogos de futebol, surfe e outras.

Desde 2015, o CFO reconhece a odontologia do esporte como uma especialidade, entretanto, ainda é uma área com baixíssimo número de profissionais no Brasil: apenas 29 cirurgiões-dentistas são especialistas.

12. Odontologia do trabalho

A odontologia do trabalho faz a associação entre a atividade laboral e a saúde do trabalhador, sendo essencial para o bem-estar ocupacional e, consequentemente, pessoal.

Para entender mais sobre a área, confira o vídeo do canal TV CROSP, no qual a presidente da câmara técnica de odontologia do trabalho, Eliete Camanho, explica a importância da especialidade.

De acordo com os dados do CFO, atualmente há 1.162 profissionais que atuam no ramo.

13. Odontologia legal

De acordo com o CROSP, a odontologia legal é “a especialidade que tem como objetivo a pesquisa de fenômenos psíquicos, físicos, químicos e biológicos que podem atingir ou ter atingido o homem, vivo, morto ou ossada, e mesmo fragmentos ou vestígios, resultando em lesões parciais ou totais reversíveis ou irreversíveis”.

Além de atuar na esfera criminal, essa área da odontologia trabalha com perícias trabalhistas, administrativas, auditorias em plano odontológico, fiscalização e docência.

Se você busca uma área que reúne diversos conhecimentos adquiridos ao longo da graduação, essa especialização pode ser uma excelente ideia, já que exige dos profissionais entendimento em radiologia, ortodontia, odontopediatria e outros.

A área conta com 815 profissionais registrados no CFO.

14. Odontologia para pacientes com necessidades especiais

Assim como a odontogeriatria, a odontologia para pacientes com necessidades especiais é uma área de atuação com público específico e, por isso, requer dos cirurgiões-dentistas conhecimentos aprofundados sobre esse grupo.

Atender pacientes com deficiência envolve diversos aspectos, como a comunicação empática com a família ou cuidadores, compreensão sobre as necessidades da pessoa e planejamento de atendimento, além de de conhecer diferentes tipos de deficiência.

Portanto, é uma área muito ampla e que vai além de conhecimentos técnicos: é necessário ter compreensão de questões sociais e sensibilidade para lidar com a família e paciente.

No Brasil, a área conta com 759 profissionais.

15. Odontopediatria

Mais uma área que requer conhecimento sobre um grupo específico, a odontopediatria é perfeita para estudantes que adoram trabalhar com crianças e são adeptos de consultórios descontraídos e divertidos.

Mas isso não significa que essa área seja fácil: trabalhar com o público infantil requer o domínio da comunicação, que deve fazer sentido para crianças e pais. Além disso, é importante saber lidar com pacientes menos cooperativos ou que estão ansiosos.

A odontopediatria é uma especialidade de extrema importância, já que por meio dela são realizadas as primeiras consultas do paciente, assim como o incentivo para os cuidados da saúde bucal.

Portanto, é preciso ser um profissional que sabe se relacionar e oferecer um ambiente que atraia as crianças e as deixem interessadas com os cuidados.

Menina negra sorrindo com ferramentas odontológicas perto da boca

A odontopediatria é uma das áreas de atuação em odontologia em que é necessário saber lidar com o público infantil.

No Brasil, o número de profissionais dessa área corresponde a 9.007.

16. Ortodontia

A ortodontia é a especialidade número um do Brasil, com 28.617 profissionais registrados no CFO. Por isso, se você deseja atuar na área, é preciso estar preparado para uma concorrência acirrada.

O objetivo da especialidade é corrigir problemas dentários e maxilares, assim como a arcada dentária.

A esse profissional compete a aplicação e manutenção dos aparelhos mecanoterápicos, responsáveis por proporcionar harmonia funcional, estética e fisiológica da face.

A ortodontia não é uma área apenas pautada na estética, ela também preocupa-se em preservar os dentes e manter a boca do paciente saudável, o que faz com que a pessoa não sofra não sofra com dores de cabeça, estresse adicional na musculatura da mastigação, síndromes de ATM e outros.

17. Ortopedia funcional dos maxilares

Diferente da ortodontia, a ortopedia funcional dos maxilares atua no desenvolvimento dos maxilares e das estruturas adjacentes.

O objetivo são os tratamentos de maloclusões, postura e movimento mandibular, posição e movimento da língua e distúrbios craniomandibulares. O especialista trabalha para que não haja alterações funcionais na respiração, fonação, mastigação e deglutição, assim como nas estruturas ósseas.

Para entender melhor a especialização, sugerimos que assista ao vídeo do canal Instituto Patricia Valério.

Atualmente, a área conta com 1.758 profissionais.

18. Patologia oral e maxilo facial

De acordo com o artigo “O cirurgião-dentista e a patologia bucal”, a especialidade estuda a etiologia, os mecanismos e as alterações morfológicas e funcionais das doenças. Paralelo a isso, são analisadas as modificações teciduais, celulares e moleculares que ocorrem por conta de uma determinada doença.

O profissional especialista utiliza técnicas de histoquímica e imunoquímica para que, em laboratório, possa diagnosticar as doenças. Portanto, o cirurgião-dentista pode realizar biópsias, detectar lesões e, até mesmo, identificar câncer bucal.

Se você gosta de laboratório e pesquisa, essa pode ser a especialidade certa! No Brasil há 426 profissionais atuando na área.

19. Periodontia

A periodontia é mais uma das áreas bem populares, com 10.188 profissionais. A especialidade é focada em prevenção, diagnóstico e tratamento dos tecidos de suporte dos dentes. Ou seja, é o cirurgião-dentista responsável pelos cuidados com a gengiva e os ossos.

Além de avaliar, diagnosticar e tratar doenças periodontais, o especialista realiza procedimentos que visam a regeneração dos tecidos de suporte e periimplantares, como os enxertos gengivais.

A periodontia também corrige anomalias na gengiva, como o sorriso gengival, e realiza procedimentos para deixá-la mais harmônica.

20. Prótese buco-maxilo-facial

A prótese buco-maxilo-facial é responsável pela reabilitação protética de perdas faciais e malformações faciais intra e extra orais ocasionadas por traumas, distúrbios e outros.

A especialidade pode, portanto, trabalhar com tratamentos de malformação facial, principalmente em casos de fissuras labiopalatinas; acompanhamento de pacientes oncológicos em tratamento e prevenção em atletas.

Além de ser fundamental para a saúde do paciente, é uma área de grande responsabilidade social, já que auxilia na autoestima e, consequentemente, no convívio social, já que muitas pessoas tendem a isolar-se devido a aparência.

Esta é a segunda área com menos profissionais, totalizando apenas 64.

21. Prótese dentária

O profissional especialista em prótese dentária é responsável por reconstruir dentes, que podem ter sido perdidos em sua totalidade ou parcialmente. Com isso, o paciente recupera boa função mastigatória, mas também tem ganho na estética.

E esse cirurgião-dentista trata pacientes por meio de prótese fixa, removível parcial ou total, assim como prótese sobre implantes. Além disso, esse profissional pode atuar com restaurações indiretas, lentes de contato e laminado cerâmico.

Mãos femininas segurando prótese dentária

O trabalho com próteses também faz parte das especialidades em odontologia.

No Brasil, 12.496 profissionais atuam na área.

22. Radiologia odontológica e imaginologia

A radiologia odontológica e imaginologia é a especialidade focada em aplicar e analisar exames por imagem. As principais funções são acompanhamento, documentação e diagnóstico do sistema buco-maxilo-facial.

Um ponto importante sobre a área é que ela atua como complemento de outras, da mesma forma que a radiologia é para a medicina.

Portanto, nessa especialização, o cirurgião-dentista irá ajudar outros colegas de profissão a obter informações relevantes para o diagnóstico.

De acordo com os dados do CFO, há 5.265 profissionais registrados na área.

23. Saúde coletiva

A última especialidade da odontologia é focada na saúde coletiva e familiar, e busca compreender fenômenos que atinjam esses dois grupos. Para isso, trabalha com ações de prevenção, planejamento, atuação em projetos, programas e outros.

Um dos pilares é a educação em saúde pública e, portanto, atua ao lado de uma equipe multidisciplinar e, muitas vezes, dentro de espaços de Estratégia Saúde da Família.

Ao todo são 2.611 profissionais na área.

As áreas em odontologia são diversas e permitem que os alunos possam encontrar e pôr em prática o que aprenderam em suas matérias favoritas ao longo da graduação e, assim, exercer a profissão com gosto.

Se você está prestes a se formar, além de conhecer as especialidades, indicamos que descubra como fazer um currículo para entrar no mercado de trabalho. Basta fazer download gratuito do nosso modelo. Clique no banner abaixo!

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Feito por Nerau Studio